Evolução do Corolla:
Conheça a história

Conheça
as gerações

ENGENHEIROS-CHEFE

Shiro Sasaki Engenheiro-chefe da 2ª e da 3ª geração do Corolla

Shiro Sasaki nasceu em 1926. Foi o engenheiro-chefe da segunda e da terceira geração do Corolla e, hoje, desempenha a função de conselheiro da Toyota Motor Corporation (TMC).

Seu primeiro sucesso foi o Publica, um grande carro em termos de tecnologia, mas ainda não atraente o suficiente para ser um sucesso de vendas. Ele atendia todos os pré-requisitos de "carro nacional", mas logo os concorrentes lançaram carros que se igualaram a ele. O passo seguinte foi lançar um carro para todos.

Depois da experiência com o desenvolvimento do Publica, em 1963 foi o momento de começar a desenvolver o Corolla. Cerca de seis meses antes do lançamento, uma importante decisão foi tomada: melhorar o motor de 1.000 cc para 1.100 cc. Ao mesmo tempo em que seria vantajoso para o lançamento, o trabalho seria complexo, uma vez que, na época, não havia tecnologias de apoio e todas as peças eram originais e desenhadas à mão. Setenta e cinco dias após o pedido, as alterações foram entregues com sucesso.

O Corolla foi muito bem aceito, e um dos fatores de destaque foi justamente o motor de 1.100 cc. Na época, o motor de 1.000 cc alcançava uma velocidade máxima de 140 km/h, enquanto o de 1.100 cc alcançava a máxima de 150 km/h. Na hora de catalogar, apenas os 140 km/h eram divulgados, e isso fazia com que os clientes voltassem felizes dizendo que o carro tinha "algo a mais".

O fato desse projeto ter sido tão grandioso é o que fez com que a Toyota transmitisse o DNA da produção do Corolla pelos cinquenta anos seguintes, ou até mais.

*Expectativa para os futuros Corollas*

"Felizmente, o carro para todos – o Corolla – era o carro mais familiar para os engenheiros. E é por isso que eu quero que os engenheiros que trabalham duro para desenvolver o Corolla atual se concentrem em fazer um carro que eles mesmos queiram dirigir. É isso o que quero dizer. A questão de saber se os clientes vão continuar optando pelo Corolla, como fizeram nos últimos 50 anos, depende totalmente de saber se o veículo conseguirá continuar evoluindo com o tempo. Como fãs do Corolla, estamos ansiosos para ver o que vem por aí."

Akihiko Saito Engenheiro-chefe da 6ª e da 7ª geração do Corolla

Akihiko Saito nasceu em 1940. Foi contratado pela Toyota Motor Corporation logo após obter seu Ph.D. na Escola de Engenharia da Universidade de Nagoya. Hoje, desempenha a função de conselheiro da Toyota Motor Corporation.

Além de ser o engenheiro-chefe da sexta e da sétima geração do Corolla, também trabalhou no projeto que deu à quinta geração do Corolla o layout com o motor frontal e a tração dianteira (FF). Na época, o projeto era tratado com sigilo absoluto e apenas um pequeno grupo de elite participou. Os testes da tração dianteira foram feitos em Camarões, na África, durante um mês. Apesar da dificuldade de dirigir e viver por lá, o grupo resistiu bravamente e entregou o projeto.

A inspiração para a sétima geração receber especificações mais sofisticadas foi o Celsior. O objetivo era que o Corolla não parecesse inferior a ele. Na opinião de Saito, o resultado ficou maravilhoso tanto em termos de equipamento quanto na experiência confortável e silenciosa.

De todos os modelos de Corolla, a primeira geração é a que Saito é mais apegado. Na época em que estava na faculdade, ganhou um de seu pai. Em suas palavras: "era um carro divertido, com boa dirigibilidade. Era de fato um ótimo veículo. Até participei de um rali na universidade com ele!".

Por conta dessa experiência, e mesmo depois de começar a trabalhar na Toyota, o Corolla continuou sendo um carro especial. Quando foi convidado para o desenvolvimento do veículo, ficou emocionado e receoso. Mas, uma vez aceito o desafio, percebeu como o sentimento de admiração era comum entre todos os funcionários da Toyota. E atribui o sucesso da sétima geração, que ajudou a construir e apresentou com orgulho para a sua família, a todas as pessoas que contribuíram, mesmo que de outros setores da empresa.

*Expectativa para os futuros Corollas*

"Fico feliz com os 50 anos do Corolla. Conversei com alguns velhos amigos, e todos disseram que querem vê-lo completar 100 anos – muito embora eu acredite que nenhum de nós ainda estará por aqui para ver isso acontecer! Eu realmente desejo que a Toyota continue fabricando e aprimorando o Corolla, para que ele chegue a seu centésimo aniversário. Espero isso ansiosamente."

Respeite a sinalização de trânsito image image