Toyota no Brasil

Em janeiro 23 de 1958, a Toyota Motor Corporation inaugurou um escritório no centro da cidade de São Paulo, com o nome de Toyota do Brasil Indústria e Comércio Ltda. Onze meses depois, a empresa iniciou as suas atividades como montadora de veículos, com a instalação da primeira fábrica brasileira, no bairro do Ipiranga. O Land Cruiser, primeiro utilitário Toyota lançado no mercado brasileiro, ganhou as ruas em maio do ano seguinte.

Com a mudança da fábrica para São Bernardo do Campo, em novembro de 1962, a Toyota substitui a linha Land Cruiser pelo Bandeirante, equipado com motor a diesel, tração nas quatro rodas e disponível nas versões jipe e camioneta de carga e de uso misto.

Uma das únicas fábricas do mundo a manter todas as operações industriais realizadas pela própria empresa, a unidade de São Bernardo permitiu, durante quase quatro décadas de produção, o controle completo de todos os processos, garantindo a qualidade final do produto.

Em setembro de 1998, a Toyota inaugurou a segunda fábrica no Brasil, em Indaiatuba, interior de São Paulo, onde passou a ser fabricado o Corolla, carro mais vendido em todo o mundo, com mais de 30 milhões de unidades comercializadas desde 1966.

Em agosto de 2001, a Toyota inaugurou seu escritório comercial em São Paulo e encerrou a fabricação do Toyota Bandeirante. A unidade de São Bernardo passou a produzir peças para a picape Hilux, fabricada na planta de Zárate, na Argentina, e para o Corolla.

Após investimentos de 300 milhões de dólares, a Toyota deu início, em junho de 2002, à produção do Novo Corolla, veículo que conquistou a liderança absoluta de vendas no segmento de sedãs médios.

Em janeiro de 2003, a Toyota passou a contar com nova estrutura na América do Sul, com a denominação de Toyota Mercosul. A nova organização integrou o gerenciamento da Toyota do Brasil com a Toyota da Argentina e consolidou as duas plantas produtivas como pólos de exportação para toda a América Latina, incluindo Caribe e México.

Em maio de 2004, a Toyota lançou o Corolla Fielder, também fabricado em Indaiatuba, que assumiu rapidamente a condição de líder de vendas no segmento de station wagons.

Um ano depois, em maio de 2005, a Toyota lançou no Brasil e na Argentina a Nova Hilux, que materializou o Projeto IMV (Innovative International Multi-purpose Vehicle). Uma revolução total no mercado, a Nova Hilux rapidamente alcançou a liderança no segmento de picapes médias. Em setembro, a Hilux SW4 foi lançada e também conquistou o primeiro lugar em vendas de sua categoria.

Outro passo importante para o crescimento da empresa é a inauguração do Centro de Distribuição de Guaíba, na Grande Porto Alegre, em março de 2005. Em uma área total de 58 mil m², o Centro de Distribuição se tornou o portal das operações logísticas da Toyota entre o Brasil e a Argentina, para recebimento da Hilux, por via rodoviária. Além de distribuir a Hilux para todo território nacional, o Centro executa as operações de recebimento, checagem e ajuste de montagem.

Para atender à crescente demanda pelos seus veículos, a Toyota aumentou sua rede de concessionárias. Até dezembro de 2004, a marca contava com 90 concessionárias. Atualmente, com cobertura geográfica superando 90%, possui 134 espalhadas pelo País.

Em janeiro de 2008, a Toyota completou 50 anos de história no Brasil. Atualmente, a montadora conta com mais de 3.800 colaboradores em suas unidades de São Bernardo do Campo, Indaiatuba, São Paulo e Guaíba. Esse marco demonstra o compromisso com o país, pois a Toyota assume que está "Ampliando Horizontes" nos horizontes do Brasil.

Em setembro de 2010, a Toyota do Brasil anunciou mais um grande investimento de 600 milhões de dólares e também comunicou o início da construção da sua nova planta no país, localizada no município de Sorocaba (SP), onde a empresa produzirá um veículo compacto, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2012.

Compartilhe
Impresso em dinsdag 2 september 2014

CSS is deactivated in the browser