Rotacione o dispositivo

Toyota celebra os 110 anos da Imigração Japonesa no Brasil durante o 21º Festival do Japão

 

Em seu estande, fabricante fez homenagem especial à história dos primeiros 781 imigrantes que desembarcaram no território nacional.

 

Espaço também mostrou aos visitantes uma viagem na história da marca, que celebra 60 anos de presença no Brasil em 2018.

 

Visando aprimoramento dos serviços, organização do evento aplicou conceitos do TPS (Toyota Production System), com suporte direto da marca.

 

Metodologia deve contribuir para conquista de marca no Guinness World Records como “Maior Mostruário de Pratos da Culinária Japonesa”.

 

A Toyota do Brasil participou do 21º Festival do Japão como uma das principais incentivadoras do evento que objetiva preservar, divulgar e manter a cultura japonesa para novas gerações. O festival aconteceuno São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em São Paulo, nos dias20 a 22 de julho. Otema proposto pela KENREN (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil)foca nos 110 anos da Imigração Japonesa no País. Além de homenagear a chegada dos primeiros imigrantes japoneses no Brasil, em 2018 a companhia também celebra 60 anos de atividade em território nacional, algo que foibastante recordado durante o evento.

 

Em seu estande de 513 m², a Toyota montou uma composição cenográfica com 781 luzes, em alusão à história dos primeiros tripulantes japoneses que cruzaram os mares a bordo do navio Kasato-Maru e chegaram ao Brasil para trabalhar como colonos nas fazendas decafé do Estado de São Paulo, em 18 de junho de 1908. A quantidade de luzes corresponde ao número exato de japoneses que estavam na embarcação.

 

No espaço reservado da Toyota, uma linha do tempo levouos visitantes para uma viagem, em uma trajetória de 60 anos atrás, data do início das operações da fabricante no País. Na área de produtos, a marca exibiuo recém-lançado Yaris, nas versões hatchback e sedã, o compacto Etios, o sedã médio Corolla, o SUV RAV4 e o protótipo do Prius flex, que combina a tecnologia híbrida com etanol, inédita no mundo e anunciada pela Toyota em março deste ano. A Lexus também garantiu presença no Festival do Japão em uma área exclusiva no estande Toyota com a exposição do utilitário RX 350.

 

TPS no Festival do Japão

Pela primeiravez, o Festival do Japão conta com o suporte da metodologia de trabalho proposto pelo Sistema Toyota de Produção (Toyota Production System –TPS), que foca no gerenciamento e otimização de processos, industrial ou serviços, priorizando sempre a qualidade dentro do menor prazo possível e com o menor custo.

 

No Festival do Japão, o escopo para aplicação do TPS, orientado pela equipe de especialistas da própria fabricante, consistiu em aprimorar a experiência dos visitantes por meio de melhorias quanto à fluidez do fluxo de visitantes, tanto no pavilhão quanto na praça gastronômica.

 

O trabalho do TPS para o Festival teve início ainda no começo deste ano. Parte dos representantes das províncias japonesas que atuam na praça de alimentação do Festival do Japão (kenjinkais) demonstrou interesse em conhecer mais sobre o TPS. Estes representantes, juntamente ao comitê de organização do evento, foram convidados para um treinamento básico sobre a filosofia do sistema, realizado na fábrica da Toyota em São Bernardo do Campo (SP).

 

No primeiro contato, os participantes foram imersos na essência do TPS, o valor agregado que a prática do sistema reflete na operação, como identificar desperdícios nos processos e implementar kaizens (conceito de melhoria contínua).

 

Posteriormente, o grupo de TPS da Toyota visitou o trabalho culinário realizado por algumas dessas províncias para captar etapas onde o sistema poderia contribuir para agilizar as atividades durante o Festival do Japão. Um exemplo prático da economia gerada peloTPS foi a montagem e finalização de um dos pratos. Na rotina normal, uma equipe de cinco integrantes levou aproximadamente 3,5 minutos para a conclusão da atividade. Com melhorias simples realizadas com base no TPS, como alteração na sequência e aproximação de ingredientes e utensílios e definição do trabalho padronizado para cada voluntário, o tempo de preparo do mesmo prato caiu para 1,5 minuto, utilizando apenas dois integrantes.

 

A Toyota teve também a oportunidade de conduzir uma apresentação para todos os representantes das províncias envolvidas na organização do evento. Na ocasião, o grupo de TPS apontou algumas sugestões de melhorias, como por exemplo:

 

-Alteração de disposição (layout e quantidade) de mesas e cadeiras com o objetivo de maximizar o fluxo contínuo de pessoas, reduzindo possíveis interferências;

 

-Melhor distribuição nos pontos de vendas de ingressos no perímetro entre o estacionamento e a entrada do Pavilhão durante o evento;

 

-Incentivo para venda antecipada a fim de reduzir filas nas bilheterias do Pavilhão;

 

-Aprimoramento e intensificação na comunicação visual no Pavilhão para melhor orientação aos visitantes;

 

Sobre o TPS

O TPS foi desenvolvido no pós-Segunda Guerra Mundial por Taiichi Ohno, chefe de produção da Toyota na época, e começou a ser empregado nas décadas de 60 e 70, sempre operando sob dois pilares: o Just-In-Time, ou seja, produzir e transportar aquilo que é necessário, no tempo necessário e na quantidade necessária; e o Jidoka, conceito que propõe 100% de qualidade de produção sem permitir que um defeito ou falha siga sem ser identificado.

 

A Toyota do Brasil possui um grupo de profissionais especializados em práticas de TPS, responsável por aplicar os princípios deste sistema por meio de parcerias. A mais recente aplicação do TPS fora do ambiente industrial foi no Hospital Santa Cruz, em São Paulo.

 

Neste caso, as intervenções realizadas pela equipe de TPS da Toyota reduziram em 22% o tempo que um enfermeiro leva para montar o kit de medicamentos dado aos pacientes. A espera por atendimento foi reduzida em pelo menos 30 minutos. O profissional passou a iniciar a medicação mais rápido e ganhou 11 minutos por turno com essa agilidade. Já o deslocamento do paciente foi reduzido em 80 metros.

 

A Usina Cocal e a comitiva de costureiras Cooper Art Camp são outros dois exemplos de instituições que contaram com o suporte do grupo de TPS da Toyota do Brasil para aprimorar suas práticas com excelência e qualidade.

 

Fonte: http://www.toyotaimprensa.com.br/releases/release.php?id=10104&/toyota_celebra_os_110_anos_da_imigracao_japonesa_no_brasil_durante_o_21%BA_festival_do_japao

image
Google+